A Viagem de Chihiro Filme 1

A família Ogino está de mudança para uma nova cidade. O casal, Akio e Yuko, está muito empolgado com a viagem. Mas, o mesmo não acontece com sua filha Chihiro, uma garotinha de dez anos que está muito chateada por ter que deixar todas as suas lembranças e amigos de infância para trás. Nas mãos, ela carrega um buquê de flores, o último presente que ganhou antes de ir embora.
Chegando à nova cidade, o pai pega um atalho e a família acaba parando na frente de um imenso prédio vermelho, no qual um túnel infinito boceja como uma boca gigantesca.
Do outro lado do estranho prédio, os três encontram uma cidade misteriosa e deserta. Depois de andar alguns passos, Akio e Yuko, avistam um suculento banquete e começam a devorá-lo. Chihiro deixa os pais por um instante, para conhecer o local, até que para numa ponte. De repente, aparece Haku, um misterioso jovem que pede a ela para sair dali antes do anoitecer. Ela corre para encontrar seus pais, mas, quando chega perto deles, vê que os dois se transformam em porcos, e fica apavorada.
Perdida e sozinha, a pequena Chihiro se vê diante de um mundo repleto de espíritos, monstros e deuses. Para sua sorte, Haku vai ajudá-la. Ele ensina a Chihiro o melhor caminho para se chegar até a bruxa Yubaba, a dona da casa de banhos, e sugere que ela peça para trabalhar na mesma. No caminho, ela conhece Kamaji e Lin. Os dois, assim como Haku, ajudam-na a se acostumar com esse mundo.

A Viagem de Chihiro Filme 1

Japão está prestes a entrar na era Meiji e em transição da Idade Média para a industrialização. O samurai perdeu seu lugar nesta sociedade moderna onde os guerreiros são menos úteis que os comerciantes. Desempregado, tendo perdido o direito de usar a espada por perder a frente para armas e canhões, o samurai vai desaparecendo gradualmente em lenda. Kenshin é esse guerreiro perdido. Depois de ser um grande mestre da espada ele agora é um vagabundo, vagando pelas estradas do Japão. No entanto, o seu cavalheirismo e coragem o transformará de um mercenário em um vigilante respeitado e amado.